Setembro Amarelo

Chegamos no mês de setembro, mês aclamado por muitos - inclusive eu -  por se tratar da chegada da primavera. O que muita gente não sabe é que o nono mês do ano também é chamado de Setembro Amarelo.
E sobre isso que esse post vai tratar. 😉

Setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro desde 2014, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarelo e ampla divulgação de informações.

No Brasil a campanha surgiu através do CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), cujas atividades iniciais ocorreram em Brasília no primeiro ano. Já no ano seguinte, ou seja, em 2015, houve uma abrangência maior tendo sido realizadas ações em todas as regiões brasileiras. No mundo todo o IASP - Associação Internacional de Prevenção do Suicídio estimula a divulgação da causa, e pontua o dia 10 de setembro como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

O CVV - Centro de Valorização da Vida, considerada uma das principais mobilizadoras do Setembro Amarelo, é uma entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962. O CVV é membro fundador do Befrienders Worldwide e ativo junto ao IASP, da Abesps (Associação Brasileira de Estudo e Prevenção do Suicídio) e de outros órgãos internacionais que atuam pela causa.




O suicídio tornou-se um problema de saúde pública que cresce assustadoramente. É um mal silencioso, e faz com que as pessoas fujam do assunto e sejam, muitas vezes, incapazes de ver os sinais  de que uma pessoa está com ideias suicidas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. Para a instituição é necessário que a pessoa busque ajuda e atenção de quem está à sua volta.

Porém, sejamos francos, como buscar ajuda sem saber que você pode ser ajudado e se conscientizar de que aquilo que está enfrentando é mais comum do que parece ou se divulga? E outra, como um amigo ou familiar pode auxiliar alguém que se tornou um suicida em potencial se não sabe identificar os sinais ou tratar o tema de forma sensível e adequada?

Não podemos nos esquecer de que vidas podem ser salvas, suicídios podem ser evitados se aprendermos a desenvolver empatia, e a olhar com amor e compaixão para as pessoas que nos cercam.

Em pleno século XXI ainda existem pessoas que consideram depressão, ansiedade, estresse e outros como frescura, falta de fé, pura apatia, ou tudo isso e mais um pouco.
Gente linda, nenhum transtorno é falta de luta, vontade de chamar ou brincadeira. Valorize a vida! Não somente à sua, mas também a dos
outros!

Lembre-se que a sua solidariedade é poderosa!!! Doe seu tempo, empreste seu ouvido, abrace, acima de Ninguém perde por dar amor. O ser humano é capaz de promover atrocidades, bem como de realizar proezas. Qual será a sua escolha!? Salvar ou afundar uma vida?
tudo AME!!!
Eu já tive depressão, e já tive pensamentos suicidas. Sabe o que me resgatou? O amor! O amor de Deus e daqueles que me cercavam, fazendo com que eu percebe-se que era importante e capaz de sair do fundo do poço, quando tudo a minha volta desmoronava.

Juntos somos mais fortes, podemos mais, e vamos mais longe!!! 💗

Dayani Xavier



**Imagens: Extraídas da web.

0 comentários:

Postar um comentário